10 de agosto de 2021

Empreendedorismo pós-pandemia: tendências para 2021

Por Cíntia Papile

Humanização, conexão e mobilidade são alguns dos aspectos em alta no mundo do empreendedorismo pós-pandêmico

As medidas preventivas da pandemia de covid-19, como a quarentena e o lockdown, geraram receio em alguns empreendedores, que precisaram descobrir novas maneiras de se aproximar do público e vender para seus consumidores. Mesmo nesse cenário, o empreendedorismo no Brasil atingiu um recorde: mais de 3,3 milhões de empresas foram abertas, com um saldo positivo de 2,3 milhões de negócios, de acordo com o Mapa de Empresas.

Se você também tem planos de abrir sua empresa ou reinventar seu negócio é importante ter atenção para as tendências e mudanças que têm impactado os negócios nesse segundo ano de pandemia.

 

Principais tendências para o empreendedorismo pós-pandemia

De acordo com o relatório de tendências para 2021 elaborado pelo Sebrae, há 4 eixos principais que as empresas devem estar atentas.

Humanização globalizada: após um período difícil de isolamento e tragédias, além da alta taxa de ansiedade e outras síndromes, a prioridade passa a ser a saúde e o bem-estar. A humanização recebe mais atenção nos processos.

Conexão: os mundos físico e digital ficam sincronizados e integrados. Os negócios precisam pensar esses dois mundos da mesma forma.

Anseio por experiências: depois de passar por um período de “telas” e isolamento, os consumidores desejam viver novas e diferentes experiências. As empresas precisam pensar formas de oferecer essas vivências aos clientes.

Gestão inteligente: novas necessidades surgiram e é preciso se adaptar a elas, desde pensar no propósito da sua marca até a gestão administrativa, social e ambiental da empresa.

 

Repensando tempo e espaço

Com o trabalho remoto, muitas pessoas alteraram a própria percepção de tempo e espaço. Por isso, muitas empresas já estão repensando o local de trabalho e até mesmo considerando migrar para outras cidades longe das grandes metrópoles, a mobilidade passou a ser prioridade para muitas pessoas e uma tendência para o empreendedorismo nesse cenário pandêmico.

O movimento empreendedor tem seguido para o interior do estado de São Paulo, conforme pesquisa recente da Endeavor apontou. E não são apenas essas cidades próximas à capital paulista, há muitos municípios mais distantes de pequeno ou médio porte se destacando. A cidade de Lins, por exemplo, ficou em 29º no ranking das 100 cidades com melhor infraestrutura do país. Além de contar com tranquilidade, qualidade de vida e boa infraestrutura, há suporte para empreendedores nascentes ou em atividade por meio da Adetec e da Incubadora de Empresas.

Há muitas possibilidades nesse “novo normal”. É preciso perceber quais foram os impactos da pandemia na forma como as pessoas consomem, se relacionam e desejam viver para criar oportunidades.

A Adetec utiliza cookies para entregar uma melhor experiência durante a navegação. Saiba mais »