05 de março de 2021

Elas começaram pequeno, mas se tornaram grandes: empreendedoras de Lins conquistam a região e até o mundo

Por Cintia Papile

No Brasil, 26,5 milhões de brasileiras comandam o próprio negócio, mesmo com desafios maiores

Antes, elas protagonizavam apenas “contos de fadas”, pelo menos é o que mostravam pra gente. Mas, a verdade é que já faz muito tempo que as mulheres revolucionam a ciência e o mundo: Hedy Lamarr, por exemplo, era muito mais que um “rostinho bonito de atriz”, ela inventou a tecnologia que permitiu o desenvolvimento do transmissor wireless. O limpador de para-brisa foi invenção de Mary Anderson, já Letitia Geer registrou a patente da primeira seringa e muitas outras mulheres são responsáveis por grandes feitos, só que elas não costumavam estar nos holofotes por uma história que, comumente, era contada por homens.

No empreendedorismo, também estamos acostumados a ouvir que o mundo dos negócios sempre foi dominado por homens, mesmo tendo nomes tão expressivos como Mary Kay, Coco Chanel, Luiza Helena Trajano e tantas outras. Mas, isso porque sempre foi muito mais difícil para as mulheres iniciarem seus próprios negócios, desde a sobrecarga de papéis e afazeres, pelo machismo ou mesmo sexismo existentes na sociedade, até por taxas de juros de empréstimo mais altas (3,5% maior), entre outras barreiras.

Esse cenário também está mudando. No Brasil, 50% das pessoas que estão tentando abrir um negócio ou que já têm um empreendimento com até cinco anos de mercado são mulheres, de acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae e Global Entrepreneurship (GEM). No total, são 26,5 milhões de brasileiras que comandam o próprio negócio. Durante a pandemia, elas têm sido o grande motor do empreendedorismo, segundo pesquisa Sebrae com a FGV, 71% dos negócios femininos inovaram no período de crise.

Em Lins e região, há também muitas empreendedoras que fizeram e fazem história. Pela Adetec (Agência de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico) e seu principal programa, a Incubadora de Empresas, onde muitas mulheres encontram o apoio necessário para abrir seus próprios negócios, já passaram muitas empreendedoras de sucesso de ramos variados.

 

Delícias da NB Doces Finos conquistam região

Dos números para as receitas, Estela Hernandes se formou em Engenharia de Segurança do Trabalho, mas em 2014 decidiu se aventurar na cozinha do seu apartamento fazendo ovos de Páscoa. E a ideia foi tomando forma. Em junho daquele ano, ela fez um curso com o Valter Pavão, consultor de finanças da Adetec, e viu uma oportunidade de iniciar seu negócio ali dentro, na Incubadora de Empresas. Assim nasceu a Nosso Brigadeiro, com fabricação de doces gourmet.

A Estela conta que, no início, encontrou resistência na aceitação das pessoas ao redor. “Quando falei que ia largar a profissão, as pessoas reagiram mal. Cheguei a recusar propostas de emprego e as pessoas ficavam surpresas. Elas pensavam em fazer doce num sentido pejorativo “como vai viver de brigadeiro?”. Mas, hoje é o contrário. Elas brincam que querem abrir uma franquia nossa”, conta, rindo. Mas o sucesso foi alcançado com muito esforço e dedicação. Ela conta que houve muitas noites indo dormir às 5h para acordar às 7h.

O empreendimento ficou instalado por 2 anos na Incubadora, quando mudou para o atual endereço. A empresa passou por todas as fases de incubação até a graduação. E continua hoje como associada Adetec. “Enfrentei muitos desafios, sempre há alguma coisa diferente para pensar. Mas busquei muitos cursos e treinamentos, na própria Adetec, sobre gestão de pessoas, de vendas, de produção, finanças. Há profissionais específicos de cada área que sempre nos orientam, apontam possibilidades”, afirma a empresária.

Em 2020, já com o nome NB Doces Finos, a empresária abriu uma filial em Araçatuba, em plena pandemia, e é sucesso em toda a região.

 

De Lins para o mundo: semijoias da Infini alcançam até a Irlanda

Ela é enfermeira, professora de curso técnico, estudante de medicina e empresária. Carla Souza iniciou a venda de semijoias com a criação da Infini para poder realizar seu sonho de cursar medicina, já que precisaria renunciar ao emprego de gerente de enfermagem por conflito de horários. “Mas eu precisava estar muito bem estruturada, não poderia errar e correr riscos, por isso eu procurei a Incubadora e me instalei lá. O apoio da incubadora foi extremamente importante, eu queria algo com um pilar sólido, em que eu pudesse ser orientada por pessoas capacitadas na área, que pudessem me oferecer os melhores caminhos e encontrei isso”, relata.

Com muito esforço e disciplina, equilibrando-se em diversos papéis, Carla foi conquistando espaço. A Infini foi pra rua e saiu de dentro da Incubadora, mas também continua associada à Adetec. E o outro sonho de Carla foi se realizando: o de apoiar outras mulheres. A empresária conta, hoje, com 25 revendedoras em diversas cidades da região e até fora do país, há representação Infini até na Irlanda. “Essa é a nossa principal conquista. E também o fato de que, mesmo diante das dificuldades da pandemia, através de todo apoio da Incubadora, nos fortalecemos e abrimos nossa loja com atendimento em vitrine. Fomos para a rua muito mais organizados”, declara.

 

Serviços do escritório Marcheti & Bertoni conquista os grandes

Estela Bertoni se formou em Direito, mas logo se tornou também empresária. Ao lado do sócio, decidiu que iria montar o próprio escritório. Mas, percebeu que a transição não seria assim tão simples. “Eu só sabia montar uma petição, ir ao juiz despachar, fazer audiência. Eu era advogada, não empresária. Então houve muita dificuldade no começo, com a parte administrativa, financeira, recursos humanos, pessoal, como captar clientes. Foi aí que a gente entrou na Incubadora, e foi fundamental, isso ajudou muito a gente”, conta.

Instalada na Incubadora de empresas, primeiro como uma empresa de registro de marcas, Estela ia em todos os eventos promovidos pela Adetec para divulgar a nova empresa para os empresários. “Estar ali foi fundamental, porque é o centro dos empresários, assim começamos a ter uma carteira de clientes. Ficamos 2 anos dentro da Incubadora e recebemos assessorias de marketing, financeira e diversas áreas, que ajudaram a gente a crescer e progredir”, relata Estela.

Ao sair da incubadora e se instalar em outro prédio, o escritório se tornou associado Adetec. “Paramos com a empresa de registro e focamos no escritório. Começamos a fechar contratos maiores, com empresas grandes de variados ramos, até mesmo uma faculdade de Agudos, uma associação de farmácias de Franca, então expandimos bastante”, declara.

Estela conta que, por vezes, ainda enfrenta alguma adversidade por ser mulher, ela afirma que é preciso sempre provar dobrado o seu valor. Mas, a empreendedora consegue driblar todas e vê seu negócio crescer cada vez mais, o escritório Marcheti & Bertoni Associados mudou para um prédio ainda maior no ano passado e conta com uma carteira de cerca de 50 clientes.

 

Experiência e apoio: Linx cresceu rápido

Ela era representante comercial de uma grande empresa química por quase uma década. Mas, Angela Del Rio decidiu empreender e abriu uma empresa de terceirização de serviços de limpeza industrial, controle de acesso e locação de equipamentos para limpeza industrial, especializada em supermercado.

A experiência em vendas ela tinha. O sócio detinha o conhecimento operacional. Mas, a parte administrativa era o problema. Foi, então, que decidiu procurar a Adetec e apresentar seu projeto. Assim, no dia 7 de setembro de 2016, a Linx foi inaugurada na Incubadora de Empresas.

“Nosso maior desafio foi abrir uma empresa num cenário econômico bem difícil, em que todos os clientes cortam o terceirizado, quando quer fazer contenção. Conquistar e fidelizar nossos clientes, conseguir ter uma equipe redonda. Mas tivemos consultorias financeiras, de mercado e muitas orientações que nos ajudaram muito. A gente sempre trabalha no mínimo 12h por dia, incluindo sábado, domingo e feriado”, conta.

O esforço valeu a pena. Em menos de um ano, a empresa chegou a ter cerca de 50 funcionários. A empresa também se graduou na Incubadora e se associou à Adetec. Hoje, também conta um setor ambiental, tornando-se Linx Serviços & Ambiental.

A Adetec utiliza cookies para entregar uma melhor experiência durante a navegação. Saiba mais »