31 de março de 2021

Mentorias entram no rol de benefícios para os empresários apoiados pela Adetec

Por Cintia Papile

Neste mês, empreendedores da Incubadora física e virtual receberam orientações importantes sobre seus negócios

Além das consultorias que já são ofertadas para os empresários associados à Adetec ou incubados pela Incubadora de Empresas física ou virtual, a Adetec sempre amplia as possibilidades de levar conhecimento e orientação a essas empresas apoiadas.  

Para este ano, uma das metas é proporcionar mentorias com profissionais de diversas áreas. “O mentor cede voluntariamente parte do seu tempo, do seu conhecimento e da sua experiência para contribuir com o desenvolvimento do empreendedor e de seu negócio, orientando-os nas suas dores e necessidade, no sentido de melhorar o seu empreendimento e atividade, ou seja, para gerar um impacto positivo nos negócios”, afirma o gerente da Incubadora de Empresas da Adetec, Flávio Anequini.

A primeira mentoria realizada foi com a advogada Julieine Ferraz Nascimento na área jurídica para o empreendedor Emerson Ribeiro, da Casulo Mídia. O empresário explicou seu modelo de negócio, que consiste em oferecer uma divisória para motoristas de aplicativos e taxistas que funciona como escudo e proteção, principalmente em relação ao coronavírus. Nessa placa de divisória, também será comercializado espaço para publicidade de empresas que se interessarem. Além disso, os motoristas poderão ter acesso a uma plataforma que oferece descontos em diversos serviços. Durante a mentoria, a advogada orientou sobre diversos processos do empreendimento, entre eles, as relações contratuais. “O negócio é composto por negociações com motoristas em duas vertentes e com empresas diversas. Cada vez que você tem um novo relacionamento entre as partes, a gente tem que entender de forma clara como vai ser e regularizar por meio de contrato para evitar conflitos futuros. É uma confusão comum, as pessoas descrevem como o negócio vai acontecer, mas não conseguem diferenciar as diversas linhas de negociação que existem no meio e a necessidade de ter um contrato específico para cada uma dessas linhas, organizando e formalizando para ter mais segurança na relação”, explica Julieine.

O empresário aproveitou o momento para sanar dúvidas e ficou atento às orientações recebidas. “A mentoria me ajudou muito, me esclareceu alguns pontos que eu tinha dúvidas e me abriu a visão para outros pontos tão importantes quanto, como questões de parceria e anúncio. Entendi melhor sobre vínculo empregatício, me alertou sobre cláusula de regresso em parcerias, assim como sobre contratos e condições negociadas com cada um dos clientes. Foi de muita valia”, declara Emerson.  

Outra mentoria realizada foi na área de produção, com a mentora Ana Luísa Amaral e a empreendedora Luciene Almeida, que produz e vende enxoval para bebês, bonecas, bolsas e necessaires personalizadas no “Lu Almeida Ateliê”, instalado na Incubadora. Por já ter atuado no mesmo segmento, Ana levou informações sobre processos de fabricação, vendas das bolsas e malas da linha maternidade para Luciene, que afirma ter sido valiosa a troca de informações. “Posso aplicar experiências que já deram certo e, até mesmo as que não deram, trazendo para minha realidade, poderei, com investimento em técnicas corretas e melhoria dos processos de trabalho, ter as informações certas para direcionar corretamente meu foco e alcançar metas em vendas”, declara.

A mentora Ana Luísa indicou caminhos promissores, como na produção direcionada para o atacado e em maior escala. E o fato de Ana ter adquirido parte de sua experiência empresarial na Adetec, foi mais um fator positivo na visão de Luciene. “Ouvi atentamente os detalhes da evolução e melhorias conquistadas pela Ana em seu negócio. E saber que as transformações ocorridas aconteceram por meio de sua experiência na Adetec,  trouxe boas expectativas sobre as respostas e confirmações que já tenho nestes 3 meses iniciais como empresa incubada”, aponta a empreendedora.

 

Por que é importante mentoria para o negócio?

Segundo Julieine, os empreendedores têm uma visão clara e facilidade da área em que atuam, mas para tirar o projeto do papel com segurança e sucesso é necessário ter atenção em outras áreas em que a pessoa não está acostumada a trabalhar. “As mentorias com profissionais de diversas áreas, não só a jurídica, são importantes para expandir o campo de visão do empreendedor e permitir que o projeto seja modelado de forma mais completa, segura e com maiores chances de se desenvolver. Muitas vezes, o empreendedor ouve coisas que nem imaginava que existiam e que podem interferir no modelo de negócio e como ele vai se desenvolver”.  

A orientação de quem já trilhou o caminho e tem experiência também é algo importante para uma decisão e jornada mais assertivas no empreendedorismo, segundo Ana Luísa. “Como no costume judaico, o conselheiro é alguém que deve ser buscado sempre antes da tomada de decisão. Os conselhos de várias pessoas com alguma experiência adquirida nos munem de informações para uma boa decisão. Sou grata por poder contribuir”, declara.  

Por isso, de acordo com Flávio, foi planejado para 2021 ampliar esse aspecto de mentoria, principalmente dentro do programa da incubação virtual. “Pretendemos trazer mais profissionais que possam contribuir com suas experiências e conhecimento para melhorar o ambiente dos nossos empreendedores. Esse é um momento importante de cooperação, compartilhar conhecimento, colocar-se no lugar do outro e o ambiente de negócio precisa trabalhar mais esses aspectos”, afirma.

 

 

A Adetec utiliza cookies para entregar uma melhor experiência durante a navegação. Saiba mais »